Nova tecnologia deve monitorar exames práticos em autoescolas

28/10/2015

Detran afirma que meio garante segurança aos alunos e examinadores.
Monitoramento de telemetria pode rastrear os veículos de qualquer lugar.

O Departamento Nacional de Trânsito (Detran) quer implantar um sistema onde o candidato a motorista e o seu examinador serão filmados durante a prova prática do processo de retirada da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Em Presidente Prudente, as opiniões tanto de alunos quanto de examinadores se dividem.

Telemetria é um nome meio complicado, mas o sistema é simples e feito por uma tecnologia que permite o monitoramento do carro de qualquer lugar. Alguns fatores que podem ser “rastreados” são a distância percorrida e a velocidade.

A inclusão deste item nos carros de autoescolas deve ser feita pelo Detran para garantir mais segurança aos alunos e examinadores, além de diminuir qualquer tipo de fraude. O presidente da Associação das Autoescolas de Presidente Prudente, Antônio Carlos Teixeira, diz que “o Detran está planejando filmar as provas práticas e implantar câmeras dentro e fora dos veículos”.

Mas a novidade ainda não é uma unanimidade para quem trabalha na área. O instrutor Devanir de Souza aponta que “a pessoa fica nervosa com o examinador, que é uma pessoa diferente ao seu lado, e sabendo que há câmeras, o aluno ficará ainda mais nervoso”. “Não precisaria”, afirma.

Também instrutor, Reginaldo Alves, que trabalha há 30 anos no ramo, destaca que aprova a ideia. “A implantação desse sistema, acredito que vá contribuir que alguma medida de corrupção deixará de existir”, diz Alves.

O sistema está em fase de planejamento e quando for implantado, o aluno que fizer o exame prático não terá apenas a companhia do examinador, mas também de várias câmeras, três dentro e duas fora do carro, isso tudo além do monitoramento da telemetria.

Segundo o Detran, os recursos tecnológicos darão mais veracidade ao exame. Em Presidente Prudente, só no primeiro semestre deste ano foram realizados 5.026 exames, em todas as categorias. Destes, 1.212 foram reprovados.

A estudante Mariana Santos Silva destaca que “ficará mais fácil de analisar o que acontece dentro e fora do carro”. Já a auxiliar de serviços gerais Daniela Rocha Campos diz que “é constrangedor, porque as pessoas reprovam por estarem nervosas”.

Quanto ao financiamento dos veículos adaptados, o Detran ainda estuda se devem ser comprados pelo governo ou pelas autoescolas, mas garante que o custo não será repassado aos motoristas.

 

*Fonte Portal G1